Running

Com certeza que já reparou que o mundo inteiro anda a correr de um lado para o outro. Tudo de phones nos ouvidos, sapatilhas/ténis de cores berrantes, meias até ao joelho à “jogador da bola”, munidos daquelas “coisas estranhas” para amarrar os telefones aos braços, e lá vão eles estrada fora. Uns por moda, outros por paixão, outros por razões de saúde e ainda há quem corra por vício (fossem todos os vícios assim tão maus para a saúde! ), ou porque a profissão requer que esteja em plena forma física. No fundo, pode-se dizer que haverá 1001 razões para correr, mas o que importa mesmo é que o faça como deve ser.

No entanto leia bem o que lhe vamos dizer agora:

Antes de poder começar a correr, tem de se saber… andar! Exactamente. Não, não estamos a gozar consigo. É a mais pura das verdades.

Vamos por partes: somos todos seres humanos e, de há alguns milhares de anos a esta parte que todos nós caminhamos em posição vertical, assentes apenas nos nossos belos pezinhos, apoiados nas nossas pernocas larocas. Ora, correr mais não é do andar mais depressa, bastante mais depressa. Certo? Ok. Então, para que se possa passar de uma fase para a outra é preciso, como em tudo na vida, aprender como se faz. É preciso apreender o processo, repeti-lo, acrescentar-lhe graus de dificuldade e fazê-lo de modo a que, num futuro próximo possamos estar a correr durante distâncias e períodos de tempo cada vez mais longos. Até, quem sabe, correr uma maratona.

Nos dias que correm e como os dias correm, costumamos dizer que tudo passa a correr.

Os dias passam a correr, as férias, as semanas, o meses, os anos, a vida!

Toda a vida é uma espécie de “corrida infernal” neste século de mudança e velocidade furiosa. A maioria de nós seres humanos não anda mais de 5 a 10 minutos seguidos por dia.

Se olharmos para quem vai de carro para o emprego, então aí temos uma pequena ideia do que se passa. Então vejamos:

  • Estacionamento perto da porta da empresa, possivelmente na mesma rua;
  • Do carro à secretária não andará mais de 1 km, seguramente;
  • Durante o dia, dentro da empresa, em função do tamanho da mesma, percorrerá sempre percurso curtos, que não lhe levem mais de 2 minutos a chegar do ponto de partida ao ponto de chegada.
  • Feitas as contas no final do dia volta para o carro, pára-o na sua, vai até à porta do prédio, o que não deve exceder os 300 ou 400 metros, isto se não tiver garagem, obviamente.

Tudo somado não deve chegar a andar 1 km  por dia, em períodos de tempo nunca superiores a 2 minutos, excepto no percurso do carro até à porta da empresa e vice versa.

Isto é manifestamente POUCO!

Portanto, se querem começar a correr e nem sequer têm o hábito de caminhar, esqueçam a história de calçar os ténis e fazerem-se à estrada. Vai correr mal! Acreditem. Já ouvimos essa história vezes sem conta.

Bem sabemos que por vezes a vontade que temos é de simplesmente sair de casa e correr o mais depressa que conseguirmos durante o máximo de tempo que conseguirmos, mas acreditem que se seguirem estes passos vão acabar por conseguir fazer corridas mais longas, vão sentir-se mais fortes, e sobretudo vão manter-se longe de lesões que vos impedem de… continuar a correr!

Como começar

Aqui ficam algumas dicas a ter em conta antes de começarem a acelerar o passo:

  1. Comecem por fazer caminhadas, 3 a 4 vezes por semana, de + ou – 30 minutos cada;
  2. Ouçam o vosso corpo. Ele é que manda. Respeitem os vossos limites;
  3. Arranjem equipamento de qualidade, independentemente das cores que escolhem;
  4. Procurem lojas que tenham equipamento específico para corrida e peçam ajuda a um funcionário dessa secção, para que este vos ajude a escolher o calçado que melhor se adequa aos vossos pés;
  5. Não façam mais de 500 a 700 km com o mesmo par de sapatilhas/ténis;
  6. Escolham a rota que melhor se ajusta ao vosso nível e à vossa condição física. É muito importante que se sintam confortáveis no percurso que escolhem fazer;
  7. Pistas de atletismo são óptimas para começar a correr por serem planas, de piso regular, sem trânsito e com distâncias marcadas. Cada volta tem 400 metros por isso torna-se mais fácil perceber quanto estamos a andar/correr;
  8. Treine o seu cérebro! Trace um plano. Escolha um determinado tipo de música, escolha a hora do dia que lhe for mais conveniente para treinar e escolha algum tipo de recompensa que o faça simplesmente levantar-se e ir correr. Pense que no final vai tomar um duche quente ou beber um belo smoothie, algo que o faça associar a corrida a recompensas prazerosas;
  9. Afixe o seu plano de treino/corrida num sítio bem visível;
  10. Façam pausas antes de precisarem de as fazer. É a única forma de garantirem que terminam a corrida com energia. Quando começarem a correr com mais frequência, a dada altura vão sentir-se já confortáveis o suficiente para acharem que podem dispensar as pausas para… andar. Errado!
  11. E o último conselho é, tenham paciência, muita paciência, lembrem-se do ditado:

Roma e Pavia não se fizeram num só dia.

Bom, para começar parece-nos que têm aqui tudo o que precisam, mas se ainda assim não se sentirem verdadeiramente confiantes para darem este passo sozinhos, não hesitem em requisitar os serviços de um PT Koobby. Terão todo o acompanhamento e apoio que vos falta e a companhia capaz de vos dar aquele empurrão inicial.

“A run begins the moment you forget you’re running”
Adidas

Written by Koobby
A Koobby é uma plataforma online para a descoberta e reserva de treinos e experiências de bem-estar. Os Clientes podem descobrir novos Profissionais de Exercício Físico e Saúde, fazer o agendamento online e avaliar os profissionais. Os Profissionais podem criar o seu perfil na Koobby, divulgar o seu trabalho e serviços e ser contratados por novos Cliente e fidelizar Clientes actuais. No futuro teremos mais categorias Profissionais na Koobby. #KoobbyFit