Fome emocional

Para a maioria das pessoas, o stress, a tristeza, fadiga desencadeiam Fome Emocional. Indivíduos num estado emocional negativo tendem a ingerir mais doces do que aqueles que se encontram num estado de espírito positivo.

Uma pesquisa, feita por cientistas da Universidade de Cornell, revelou que o estado emocional de uma pessoa pode influenciar o sabor dos alimentos e impulsionar a aceitabilidade dos alimentos.

Quando você está emocionalmente stressado, alimentos que você considera normalmente menos atraentes tornam-se muito desagradáveis. E, os alimentos que você gosta vai “implorar” para os comer constantemente.

Se você está infeliz fica mais propenso a petiscar biscoitos, chocolates, bolachas doces, etc. e dificilmente acaba de comer antes do pacote terminar.

Lembre-se que os factos da sua vida real irão acionar os alimentos que você escolhe e sem perceber o que realmente desencadeia a crise de fome emocional é difícil controlar os episódios de voracidade alimentar.

Dicas e estratégias para evitar a fome emocional

  • O exercício físico deve fazer parte da sua vida, faz bem à saúde, ao bem-estar e ativa o metabolismo.
  • Crie uma rotina e padrão alimentar que seja fácil e exequível para evitar longos períodos sem comer ou más escolhas alimentares.
  • Faça compras conscientes. Evite levar para casa alimentos muito calóricos e nutricionalmente pouco interessantes (bolachas, batatas fritas, doces, enchidos).
  • Tenha sopa de legumes sempre pronta em casa.
  • Em dias que chegue a casa esfomeado aqueça logo um bom prato de sopa. Vai ficar saciado e vai impedir fazer uma ingestão de um grande volume de alimentos até à hora do jantar.
  • Descubra a causa da sua fome emocional e tente resolver o problema de forma realista, consciente e se possível com ajuda de uma profissional.

Só quando a causa da fome emocional estiver tratada a fome emocional vai deixar de ser um problema!

Dinora Bastos
Written by Dinora Bastos
Licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação pela Universidade do Porto e com uma Pós-graduação em Nutrição Clínica e o 2º ano do Mestrado de Nutrição Clínica ambos pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Dá apoio em várias clínicas e é Nutricionista no Hospital de Aveiro. Também promove vários workshops, palestras e cursos para diferentes grupos alvo. É autora da página de Facebook "Dinora Bastos – Nutricinista" (https://www.facebook.com/dinorabastoshealthycorner) e do blog “Diário de uma Magra” (http://dinorabastos.blogs.sapo.pt/). Participa também em alguns programas de TV